quinta-feira, setembro 12, 2013

Voyager 1 é o primeiro objeto criado por humanos a deixar o Sistema Solar

A notícia foi anunciada pela Nasa nesta quinta-feira (12). Há um ano a sonda cruzou os limites do Sistema Solar e entrou no espaço interestelar

REDAÇÃO ÉPOCA

Ilustração da Nasa mostra a sonda Voyager 1 entrando no espaço interestelar (Foto: NASA/JPL-Caltech)

Nunca um objeto construído por humanos chegou tão longe no espaço. A agência espacial americana (Nasa) anunciou nesta quinta-feira (12) que a sonda Voyager 1 é o primeiro satélite a deixar o Sistema Solar e iniciar uma aventura pelo espaço interestelar. A sonda de 36 anos agora está a 19 bilhões de quilômetros do Sol.

Os resultados da análise dos novos dados foram publicados na revista científicaScience. Eles mostram que Voyager 1 está viajando há um ano em uma área de plasma fora do Sistema Solar, mas ainda dentro da heliosfera, região onde apenas alguns efeitos do Sol ainda são evidentes.

“Agora que temos dados novos e fundamentais, acreditamos que esté é um salto histórico da humanidade rumo ao espaço interestelar”, disse Ed Stone, cientista do projeto Voyager, da Nasa. “Nossa equipe precisava de tempo para analisar os dados e dar sentido a eles, mas agora podemos responder à questão que todos estavam perguntando: Chegamos lá? Sim, nós chegamos.”

A Voyager 1 não tem um sensor de plasma, por isso os cientistas precisaram determinar a localização da sonda de uma maneira diferente. Uma erupção solar ocorrida em março de 2012 forneceu aos pesquisadores os dados necessários.

Quando esta erupção foi sentida na região onde se encontra a sonda, apenas 13 meses depois, em abril de 2013, o plasma em volta da Voyager vibrou fortemente. A força das oscilações permitiu que os cientistas determinassem a densidade do plasma. E a partir desta densidade, descobriram a localização da sonda – o espaço interestelar –, além da data em que entrou nesta região – agosto de 2012.

“Nós literalmente pulamos da cadeira quando vimos essas oscilações em nossos dados. Elas mostraram que a nave havia entrado em uma região totalmente nova”, disse Don Gurnett, coordenador da pesquisa. Segundo ele, a densidade do plasma era compatível com aquela encontrada no espaço interestelar e diferente daquela encontrada no Sistema Solar.

A ilustração mostra a localização das sondas Voyager 1 e Voyager 2. Representa também a heliosfera, região fora do Sistema Solar, mas que ainda sofre influências do Sol (Foto: NASA/JPL-Caltech/ÉPOCA)

A sonda Voyager 1 foi lançada no espaço em 1977, 16 dias depois de sua sonda gêmea, a Voyager 2. Ambas sobrevoaram Júpiter e Saturno. A Voyager 2 – a nave continuamente em operação há mais tempo na história – também estudou Urano e Netuno. Atualmente, ela se encontra a 15 bilhões de quilômetros do Sol.

Os cientistas não sabem quando Voyager 1 vai alcançar a região intacta do espaço interestelar que não sofre mais influência do Sol. Eles também não têm certeza de quando Voyager 2 vai conseguir seguir os passos da “irmã” e sair do Sistema Solar. A expectativa, porém, é de que não leve tantos anos.