quarta-feira, dezembro 10, 2014

Conectividade corporativa requer sistema de proteção eficaz

TECNOLOGIA

Soluções que protegem contra a indisponibilidade dos dados corporativos na internet estão no centro das preocupações das empresas.


Estar conectada não é mais uma questão de necessidade da empresa contemporânea, mas sim de sobrevivência. Essa é a opinião de diversos analistas do mercado como o professor Claudio Carvajal, coordenador do curso de graduação em Administração com formação específica em TI da Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap), que diz ser “impensável” que uma companhia seja competitiva, cresça e inove se não estiver em contato constante com o mundo virtual.

“É importante que as empresas compreendam que a forma como as pessoas vivem, interagem, se relacionam e compartilham emoções mudou. Elas precisam acompanhar essas transformações sociais e, a partir daí, perceber as oportunidades para agregar valor a seus negócios”, acrescenta o professor.
Segundo ele, o custo de inserir uma empresa no mundo digital não é necessariamente alto, porque hoje muitas soluções estão prontas. Contudo, apenas aplicações e conexão não são suficientes: é preciso que haja ferramentas de proteção das informações que circulam. A infraestrutura de rede deve ser segura, tanto para os funcionários quanto para os clientes.

O aumento da disponibilidade de banda larga e a utilização intensa de smartphones e laptops em redes empresariais tendem a aumentar as chances de ataques. Para se proteger contra a negação de serviço, é necessário contar com uma solução Anti-DDoS, que detecta e mitiga esse tipo de ação.Uma das razões mais frequentes para a indisponibilidade de sites, redes digitais ou aplicações corporativas, como e-mail e acesso à internet, são os ataques DDoS, conhecidos como negação de serviço (no inglês, distributed denial-of-service).

A Embratel oferece uma solução diferenciada de segurança, a Anti-DDoS que possui dois sistemas de tecnologia. O primeiro faz a detecção da anomalia, conhecido como Collector Plataform (CP). O segundo, chamado Threat Management System (TMS), executa o tratamento do tráfego.
O objetivo é manter a disponibilidade da infraestrutura dos clientes que possuem link de internet da Embratel, evitando, assim, a saturação da banda de internet ou a indisponibilidade de serviços.
Para proteger a rede de dados dos clientes, o sistema é implementado diretamente no backbone da Embratel, onde é feito o gerenciamento contínuo do tráfego.

Entre as principais características do produto estão a gerência pró-ativa e o baixo tempo para detecção do ataque. Além disso, a Embratel disponibiliza relatórios completos com números de tentativas, volume, tipo e principais origens dos ataques ou das oscilações de rede.
O Centro de Operações de Segurança de Rede da Embratel monitora em tempo real o comportamento do tráfego por meio de equipamentos vinculados aos pontos de interconexão da rede. Quando é detectado um ataque, o tráfego do cliente é redirecionado para as plataformas de “limpeza” nacionais e internacionais, que têm a função de identificar e bloquear o tráfego ilícito, permitindo somente a passagem das informações válidas.

Para ter total visibilidade da operação, o cliente tem acesso a um portal de monitoração no qual pode visualizar os alertas de ataques e as medidas aplicadas pelo Centro de Operações da Embratel.

x