quarta-feira, abril 02, 2014

Chuva secreta

LITERATURA


Chuva secreta


TRECHO
O ser humano 
não se repete. 
Somos banais e 
desimportantes, 
ainda que cada 
um se considere, 
em segredo, 
portador de uma 
misteriosa missão, 
protagonista de 
um destino ímpar. 
Não é verdade. 
Nossa trivialidade 
é inata. Contudo, 
por baixo da 
ordinariedade, 
somos, 
paradoxalmente, 
irrepetíveis, 
cada qual um 
molde perdido, 
cada qual um calo 
específico, 
doendo na infinitude.



Chuva secreta
Állex Leilla
Casarão do Verbo
158 págs.