segunda-feira, fevereiro 17, 2014

Recado ao Senhor 2014

EDUCAÇÃO


Vizinho


Arantes Gomes
Quem fala aqui é a Educação. Recebi, no dia 02 de janeiro, através da imprensa, a informação de que o Senhor daria 8,32% de reajuste, referente à aplicação da Lei do Piso aos professores e professoras que trabalham comigo, no estado.

Devo dizer que estou muito preocupada com sua veemente declaração verbal, mas não lhe dou razão. Sei que o senhor tem ao seu lado uma interpretação da lei e a polícia, porém quem trabalha tanto, em várias jornadas, tem o direito de receber um salário digno que atenda às necessidades básicas do dia a dia.

Me sinto deslocada em saber que o senhor está me tratando mal, principalmente aqueles e aquelas que trabalham comigo. Anos atrás, o senhor disse que iria reverter o quadro financeiro pelo qual passava os meus profissionais e que os salários deles – que eram os piores do país-, iram melhorar. Porém, de lá para cá, não houve mudança alguma com relação a este fato e que a vida deles ficou ainda mais difícil.

Eles continuam recebendo o pior salário de professor universitário do país e tem mais ... Estudos apontam que é impossível que eu seja tratada como de qualidade social se os profissionais que atuam para este fim, não sejam valorizados dignamente. Ou melhor: o que o senhor fez foi ainda pior; incorporou as gratificações, congelou as faixas, retirou o valorização por desempenho, desmontou o plano de cargos e carreira da categoria ... Prometo quem vier à minha casa (perdão ao meu...) será informado de tudo que o senhor fez com os meus trabalhadores e trabalhadoras. E explicarei ainda que, para 40 horas, o senhor disse que pagaria a partir de janeiro R$ 1.698,00 aos professores com formação no Magistério e para aqueles com curso superior acrescentaria 5% - o que não tira o seu mérito de pagar o pior salário de professor universitário do país. É humilhante estudar tanto e não ser valorizado.

Não se pode viver com dignidade ganhando um salário desses. Tem mais. Ninguém pode passar para outra faixa da mesma matriz a não ser após 10 anos, os deslocamentos - que antes eram percentuais - também foram congelados pelo senhor e as gratificações daqueles que trabalham nas escolas de referência foram transformadas em valores fixos, congelados. A vida desses trabalhadores está cheia de dúvidas e dívidas acumuladas ao longo dos anos, pois o senhor não dialoga mais sobre o assunto. Reconheço que os avanços que a mídia insiste em divulgar – pois o senhor a domina – sobre a melhora que o senhor fez em mim para os estudantes é de aproximadamente 1% do total deles. Estou doente. Muito mal e com muitos problemas, mas o senhor não está interessado em me ajudar. Peço-lhe desculpas – e não prometo silêncio.

... Mas, só serei de qualidade, se o seu compromisso apontar para o caminho da valorização dos profissionais que atuam na minha direção. E que o senhor dissesse: companheira soube da Campanha 2014. Aqui estou. 


E pudéssemos dialogar. E os 33 pontos da pauta de reivindicação aprovada na assembleia geral da categoria, no dia 13 de fevereiro, fossem atendidos.


Arantes Gomes é Representante Sindical
SINTEPE Mata Sul - Palmares