quinta-feira, 11 de abril de 2013

ELEIÇÕES 2014

Bezerra Coelho prefere que Eduardo

.

não se candidate em 2014

Saulo Moreira

Foto: Igo Bione/JC Imagem
SENTO SÉ (BA)  - O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB), prefere que o governador Eduardo Campos, presidente do mesmo partido e possível candidato à Presidência da República, não se candidate à sucessão da presidente Dilma Rousseff (PT). Pelo menos não em 2014.Durante evento de inauguração de um parque de energia eólica no Sertão da Bahia, Fernando Bezerra Coelho, provocado pelo JC, deu sua opinião: “Estamos trabalhando para aprofundar o debate no sentido de que a gente preserve esta aliança [PT e PSB], que foi e tem sido tão boa para o Brasil, para o Nordeste e para Pernambuco, em particular”.

E continuou: “ É evidente que existe hoje um clima para se avaliar a candidatura própria do PSB. Existe espaço para debate. Mas acredito que existe espaço para o entendimento no sentido de preservação da aliança.” Questionado diretamente se preferia a preservação da unidade ao lançamento da candidatura de Eduardo Campos, ele foi enfático: “Sim, claro. O momento é de dar sequência a esta aliança.”

O ministro é do mesmo partido de Eduardo, foi secretário de Estado durante a primeira gestão do governador e se tornou ministro dentro da cota de Eduardo. Antes, porém, FBC foi preterido para o Senado. Eduardo apoiou Humberto Costa e Armando Monteiro Neto (PTB). Para prefeito, lançou e venceu com Geraldo Júlio (PSB).

Ao se tornar ministro no governo do PT, FBC se transformou no gestor de grandes obras, como Transnordestina e transposição do São Francisco. A presidente Dilma, segundo contam nos bastidores, faz questão de prestigiá-lo com o intuito de constranger Eduardo, o aliado que pode se tornar adversário. Seria uma estratégia política gestada pelo ex-presidente Lula.

Há duas semanas cogitou-se, inclusive, que FBC deixaria o PSB e iria para o PT para ser candidato a governador de Pernambuco. Ele negou a possibilidade. Agora, porém, deixou  claro que não vê a candidatura de Eduardo como uma prioridade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DACIOLO, URSAL E NOVA ORDEM MUNDlAL