sábado, agosto 23, 2014

A VAIA

POLÍTICA

A Vaia e o Medo


Hoje vou falar de um assunto que está em alta, a vaia que neste final de semana foi assunto nos principais blogs da região, estou falando da Síndrome da vaia.
A Campanha já começou, e as vaias começaram aparecer, Antes era por causa da Copa, agora é por outras razões. A Campanha, uma delas é o medo da vaia, a assessoria de Dilma Rousseff montou precauções para que ela não fosse vaiada no Itaquerão, Dilma evitou fazer discurso, sua imagem aparecer em telão dentro do estádio e nem ter seu nome anunciado para a platéia. Mas ainda assim foi vaiada.
A síndrome que afeta a maioria dos candidatos e que já estão sentindo na carne os achincalhamentos malcriados não existem apenas para ofender Dilma Rousseff, mais qualquer político estará sujeito a ser vaiado ao sair por aí pedindo voto.
Não é diferente em Palmares que já vaiou o Rei do Baião e durante anos ele resistiu em não voltava a cidade, já Dr. Ivanildo quando prefeito, montou uma verdadeira estratégia de guerra para trazer o presidenciável FHC, não adiantou nada, foi vaiado também e ainda comentou em um Jornal de circulação nacional: O melhor comício de minha campanha, Maranhão; O pior comício de minha campanha, Palmares.
o povo está mostrando claramente seu mau humor contra quem representa a tal classe política. Por isso, nem ele nem outros candidatos militantes da política tradicional se arriscam a comparecer a eventos que não tenham sido prévia e devidamente armados para recebê-los com civilidade, aos riscos fatais da vaia e dos xingamentos, somam-se agora outras dificuldades que, em eleições passadas, não eram tão fortes: os financiadores de campanha desapareceram (não querem ter suas imagens vinculadas à dos políticos), assim como estão sumindo também os tradicionais “cabos eleitorais” – prefeitos e vereadores que agora demonstram preferir ficar em seus cantos a também se expor ao mau humor popular.

Sexta-feira 22, a executiva do PSB, partido do ex governador Eduardo Campos, presenciou um vaia digna de um prefeito em decadência, um assessor do alto escalão do PSB me confidenciou o desanimo com o prefeito João Bezerra, do PSB em Palmares e que não tinha mais jeito, é lamentável estar acontecendo em Palmares mais uma vez, já na avaliação dos observadores, a maior vaia o povo dará no dia da eleição: talvez seja batido, em 5 de outubro, um recorde de votos em branco, especialmente nas eleições proporcionais.